A nossa juventude não pode esperar mais

Ideias

autor

Marianne Thyssen

contactarnum. de artigos 2

Mais de 5 milhões de jovens na Europa estão, neste momento, desempregados. Alguns países da Europa defrontam-se com taxas de desemprego juvenil que rondam os 50%. Isto é inaceitável. Em Portugal, cerca de 280 000 jovens não trabalham, não estudam nem seguem qualquer formação, o que corresponde a 16% da população jovem deste país. Por isso, os nossos jovens precisam de empregos.

Há já algum tempo que os Estados-Membros e a UE têm vindo a desenvolver esforços conjuntos neste sentido. Há dois anos, a Comissão lançou a Garantia para a Juventude. Em Portugal, entre as medidas concebidas para ajudar os jovens a regressar ao mercado de trabalho contam-se aconselhamento, formação e aprendizagem, bem como programas de segunda oportunidade e incentivos à contratação e ao emprego por conta própria.

Os Estados-Membros passaram os últimos anos a desenvolver planos e reformas para concretizar os nossos objetivos. A União Europeia disponibilizou fundos para os apoiar nestas políticas e projetos, designadamente através do Fundo Social Europeu e da Iniciativa para o Emprego dos Jovens.
Esta iniciativa tem um orçamento total de 6,4 mil milhões de euros e visa prestar uma ajuda direta aos mais desfavorecidos.

Não obstante, quase dois anos após a adoção da Iniciativa para o Emprego dos Jovens, os Estados-Membros obtiveram resultados aquém das expectativas, tendo-se deparado com dificuldades em assegurar os pagamentos necessários para dar início ao financiamento das atividades e medidas necessárias. Os governos têm de pré-financiar os projetos a partir dos orçamentos nacionais antes de serem reembolsados pelos fundos da UE.

É minha convicção que a Iniciativa para o Emprego dos Jovens pode fazer uma diferença real, mas, quase dois anos passados, as verbas não chegaram ou não chegam o suficiente aos jovens que delas precisam. Estou determinada a tudo fazer para que tirem pleno partido dos benefícios desta iniciativa. Os jovens não podem esperar mais. A minha primeira grande proposta legislativa prevê um aumento de mil milhões de euros para o pré-financiamento de operações e atividades de promoção do emprego dos jovens.

Desta forma, serão mobilizados os fundos necessários para que os Estados-Membros lancem, com urgência, medidas que se traduzam em empregos, oportunidades de aprendizagem e programas de formação e educação ou outros de efeito semelhante.
A Comissão Europeia só pode tomar a iniciativa de propor medidas e tornar tão fácil quanto possível a sua execução. Por este motivo, venho instar também os Estados-Membros a fazer uso destas verbas e a traduzi-las rapidamente em projetos concretos. Juntos, podemos concretizar este objetivo. Juntos, podemos abrir de novo aos jovens as portas do emprego. Juntos, podemos dar aos jovens da Europa as oportunidades que merecem.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Ideias

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia