Doutor, doí-me os ouvidos o que devo fazer?

Voz à Saúde

autor

Fátima Costa

contactarnum. de artigos 9

Com a descida das temperaturas, tem sido grande a afluência aos serviços de urgência e centros de saúde por doença aguda. Os motivos mais frequentes de consultas nesta altura do ano e na população saudável são as dores de garganta, tosse, febre e dor de ouvidos. Nas crianças e nos idosos deve ter-se especial atenção aos sintomas gripais, vigiando sempre a existência ou não de febre.

A otalgia (dor de ouvidos) é um sintoma que pode estar presente por diferentes motivos. O mais conhecido designa-se por otite (inflamação do ouvido). A otite pode ser externa quando atinge o canal auditivo ou otite média quando envolve o ouvido médio que se situa por trás da membrana timpânica que é obser-vável por otoscopia.
Outras causas para otalgia são problemas dentários (cáries, dentes do siso inclusos), disfunção da articulação temporomandibular e apesar de menos frequente tumores.

No contexto de obstrução nasal, comum nos quadros virusais, pode surgir otalgia por obstrução da trompa de eustáquio ou ser uma dor irradiada com origem numa amigdalite ou faringite.
A otalgia não necessita sempre de tratamento com antibiótico.

As otites são mais comuns em idade pediátrica. O agente bacteriano mais comum é o S. pneumoniae. Segundo a Direcção Geral de Saúde, as crianças saudáveis com mais de 6 meses que apresentem uma otite média não necessitam sempre de antibiótico. Se não houver sintomas de gravidade, a otite não atingir os dois ouvidos, não for uma otite recorrente e não existir otorreia (escorrência dos ouvidos) devem ser medicadas para a dor com analgésico ou anti-inflamatório e reavaliar em 48 a 72h. Só no caso de manutenção dos sintomas e persistência das alterações otos-cópicas é que deve ser prescrito o antibiótico.

De referir que a resistência aos antibióticos tem aumentado, e que a sua utilização em situações que não são necessários, não só não traz benefício ao paciente como contribui para o aumento das resistências...
Cuide da sua saúde e evite as constipações. Deve lavar as mãos regularmente e se tiver de tossir ou espirrar faça-o para um lenço de papel ou não sendo possível para o cotovelo. Se necessitar de ajuda, procure o seu médico assistente.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Voz à Saúde

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia