Sr. Doutor, tenho obstipação e agora?

Voz à Saúde

autor

Cristina Dias

contactarnum. de artigos 10

Cada vez mais as pessoas se queixam que o seu intestino não funciona ou que “são muito presas”. A obstipação, conhecida correntemente como “prisão de ventre”, causa uma sensação de mal-estar e desconforto abdominal, levando as pessoas a recorrer ao uso excessivo de medicamentos laxantes ou clisteres ao invés de procurar aconselhamento médico.

A ideia generalizada e errónea de que se deveria ter pelo menos uma dejecção por dia levou ao seu abuso com consequências preocupantes, como a dependência dos mesmos. Na maior parte das pessoas, a frequência de evacuações é inferior a três vezes por dia e superior a três vezes por semana, porém cada um tem o seu ritmo próprio e não existe um padrão único de funcionamento intestinal igual para todos. Considera-se que existe obstipação quando há dificuldade persistente em evacuar, ou se a evacuação obriga a um grande esforço muscular, se é necessário recorrer a manobras digitais para ajudar à saída das fezes, ou se há duas ou menos evacuações por semana.

As fezes são constituídas sobretudo por fibras, restos alimentares e água que não foram absorvidos no intestino e que as tornam mais volumosas e mais moles. Isto facilita o trânsito intestinal e a expulsão das fezes. Quanto mais lento for o trânsito intestinal, mais duras se tornam as fezes e menos volumosas, provocando obstipação.

Para além de doenças que podem causar esta situação, como diabetes, hipotiroidismo, doença de Parkinson, síndromes inflamatórios intestinais, lesões medulares, e mesmo alguns medicamentos (ex. analgésicos, suplementos de ferro, anti-ácidos com alumínio), a causa mais comum de obstipação continua a ser devido a uma incorreta prática alimentar. As fezes muito duras e compactadas podem provocar ferimentos na parede interna do reto, como fissuras ou levar ao aparecimento de hemorróidas que causam dor e sangramento.

Se acha que sofre de obstipação procure o seu médico para ele avaliar o seu caso detalhadamente. Por outro lado, sangramentos retais contínuos, perda de peso recente sem motivo aparente ou alterações do padrão intestinal devem ser igualmente avaliados. Entretanto, deve tomar medidas essenciais para evitar esta situação ou, caso a tenha, para melhorar, como aumentar a ingestão de fibras e assegurar uma ingestão hídrica abundante, para além de praticar alguma actividade física regular.

O aporte diário de fibras recomendado e ideal seria de 25 a 30 gramas de fibra para uma função intestinal salutar. Os alimentos ricos em fibra são: farelo, aveia, bolachas integrais, ameixa, pêssego, frutos tropicais como manga e mamão, couve, feijão, ervilha, entre outros.
Pode não haver melhorias nos dias ou semanas iniciais a essa mudança de hábitos, mas deve continuar para que surjam efeitos.

O tratamento da obstipação é possível e individualizado, devendo ser avaliado todo o seu historial e aconselhado pelo seu médico. A terapia farmacológica é reservada para casos especiais, pois também causam efeitos secundários que podem ser graves.
Por isso antes de os tomar por sua iniciativa informe-se. Cuide de si e do seu bem-estar!

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Voz à Saúde

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia