Exposição solar nas crianças!

Voz à Saúde

autor

Bruno Melo

contactarnum. de artigos 13

Quando os pais pensam em exposição solar, geralmente, a primeira ideia que lhes ocorre é a dos cuidados que devem ter com os seus filhos. Com efeito, a exposição solar excessiva provoca queimaduras, envelhecimento precoce da pele e mesmo o cancro da pele. Apesar disto, o sol não deve ser encarado apenas como prejudicial, pois a exposição solar é essencial para a produção de vitamina D, que, entre outros aspetos, é importante para a calcificação óssea.
Assim, torna-se primordial adotar medidas que otimizem os benefícios do sol e diminuam os seus riscos.

Antes de iniciar os conselhos relativamente à exposição solar, é importante que se compreenda o porquê de se ter especial atenção relativamente a este tema nas crianças. A pele destas é mais sensível e fina, logo uma exposição solar prolongada ou mesmo durante um curto período de tempo pode gerar queimaduras. Associadamente, pode ocorrer a sua desidratação. Desta maneira, compreende-se a importância de adotar medidas de proteção solar.

Todas as crianças devem estar protegidas. Porém, as crianças que apresentam maior risco são as de raça branca, com olhos cinzentos, verdes e azuis, cabelo castanho claro, ruivo e loiro. Deve sublinhar-se que, nas crianças com menos de 6 meses de idade, a exposição solar direta não é aconselhada.

Relativamente aos conselhos, é importante ter em atenção estes: evitar a exposição solar das 11:00 às 17:00 horas e por períodos prolongados; preferir a sombra, mesmo fora deste horário; ingerir frequentemente água (para evitar desidratação); usar roupa protetora, como chapéus de abas largas, óculos de sol (com lentes com filtros solares autorizados para idade pediátrica) e protetor solar.

Quanto a este, ele deve apresentar um fator de proteção de 50+, ser aplicado cerca de 30 minutos antes da exposição solar e renovado várias vezes durante o dia (a cada 2 horas), sendo importante mencionar que a água, suor e areia diminuem o tempo de permanência do protetor na pele. O protetor solar deve ser aplicado sempre que a criança participe em atividades realizadas ao ar livre e não só nas idas à praia e piscina, assim como em todos os dias, mesmo naqueles nublados.
Em caso de dúvidas, procure o seu médico. Cuide de Si! Cuide da Sua Saúde! E neste caso, cuide da saúde dos Seus!

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Voz à Saúde

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia