Gripe - o que é e o que fazer?

Voz à Saúde

autor

Sofia Melo

contactarnum. de artigos 10

Em Portugal, à semelhança do que sucede no Hemisfério Norte, a atividade gripal ocorre nas épocas frias do ano - começo do Outono até à Primavera - sendo, por isso, designada de sazonal. Todos os anos ocorrem modificações nos vírus da gripe que, assim, explicam as diferenças no que se refere à sua magnitude e intensidade.

A gripe é uma doença aguda, de início súbito, provocada por um vírus que afeta predominantemente as vias respiratórias. O vírus é transmitido, essencialmente, por via aérea, através de partículas de saliva de uma pessoa infetada, expelidas através da tosse e dos espirros, mas também por contacto direto, por exemplo, através das mãos. Tem um período de incubação que varia entre 1 a 3 dias, sendo que o período de contágio começa 1 a 2 dias antes do início dos sintomas e vai até 7 dias depois!

Os primeiros sintomas de uma gripe são o início súbito de febre, tosse intensa, dores de cabeça, mal-estar geral, cansaço, dores musculares, articulares e de garganta. Normalmente, tem um curso benigno e com recuperação entre 1 a 2 semanas.
A este propósito, convém ter presente que constipação e gripe não são a mesma doença! São provocadas por vírus diferentes e que, por isso, dão sintomatologia díspar. Assim, na constipação, os sinais/sintomas aparecem de forma gradual e são limitados às vias respiratórias superiores, geralmente acompanhados de congestão nasal, espirros, irritação da garganta e dor de cabeça. Raramente ocorre febre alta ou dores no corpo.

Para prevenir a Gripe, deve manter uma boa higiene das mãos, quando necessário deve tossir para um lenço descartável ou para o antebraço e evitar o contacto próximo com pessoas infetadas. Para as pessoas de maior risco, que são mais vulneráveis, é ainda disponibilizada gratuitamente a vacina da Gripe nos centros de saúde.
Como referido anteriormente, na maioria dos casos ocorre cura espontânea e não há necessidade de recorrer aos serviços de saúde. Contudo, caso os sintomas persistam, sejam difíceis de controlar ou se tem alguma dúvida, não hesite em consultar o seu médico assistente para aconselhamento e esclarecimento. Cuide de Si! Cuide da sua Saúde!

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Voz à Saúde

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia