Comunidade minhota residente no estrangeiro, deseja um Bom 2017

Ideias

autor

Rui Ribeiro Barata

contactarnum. de artigos 1

Estimadas e estimados conterrâneos, permitam-me a “ousadia” e porque nem sempre nos lembramos daqueles que vivem e residem no estrangeiro. Gostaria de, por este meio, expressar a voz e o sentimento dos milhares de minhotos residentes no estrangeiro, que por motivos óbvios de distância, muitos não tiveram oportunidade de comemorar este período tão belo e importante do ano, junto dos seus familiares, amigos e entes mais queridos, desejar a todos um Excelente Ano 2017!!

Deixo aqui uma mensagem de apreço, afecto e amizade para com todas as famílias minhotas, para com toda comunidade que compõe a comunidade Minhota. Fá-lo independetemente do local de residência. Gostaria de relembrar que é Minhoto e pertence à comunidade Minhota, todo aquele e aquela que leva no coração o sentimento, a alma e o orgulho de ser Minhoto. A região do Minho estende-se muito para além das suas fronteiras físicas. O Minho, isto em parte graças ao contributo das centenas de milhares de minhotos que vivem no estrangeiro, é conhecido, divulgado e promovido fora do território português. Com o contributo, muitas vezes esquecido, das suas gentes emigradas, o Minho é conhecido nos cinco Continentes do planeta.

2017 será um ano de novos desafios para Portugal, para os seus territórios e muito particularmente para o Norte do país. Será um ano em que o desemprego, a falta de oportunidades para os mais jovens, as fragilidade demográficos e a consequente perda de população, o cada vez maior envelhecimento da população e a sua falta de apoio, serão temas que deverão ser debatidos e equacionados na esfera publica de forma séria, coerente e prioritária. Estas questões estratégicas terão consequências directas no futuro das gerações vindoras. Não devemos tratar estas questões de forma leviana.

Estas deverão ter respostas que ultrapassam meras medidas eleitoralistas, isto para bem do futuro do nosso país. Devem ser equacionadas e encontradas soluções através verdadeiros memorandos locais, que deverá ser respeitado nos próximos vinte a trinta anos. Falta no nossos país e aos nossos territórios uma visão de futuro de longo prazo, é nessas medidas que devemos trabalhar e apostar. O desenvolvimento dos nossos territórios será tanto mais eficaz, quanto maior e mais longínqua for a visão do poder local.

O Minho assim como a grande maioria dos territórios que compões o Norte e Centro de Portugal continuam a ser terras de Emigração. As autarquias desempanham um papel fundamental na valorização, explicitação e promoção do papel, importantíssimo, que desempanham os seus conterrâneos residentes no estrangeiro. O papel destas gentes, que levam e engrandecem o nome de Portugal e dos Concelhos onde são oriundos até aos quatro cantos do Mundo, é muitas vezes esquecido e pouco valorizado.

No Outono 2017 haverá eleições autárquicas no nosso país. Relembro que já passaram 42 anos após a revolução dos Cravos, e os portugueses residentes e devidamente recenseados no estrangeiro continuam a ver-lhes negados um dos direitos mais fundamentais, que é o direito de voto nas eleições das suas autarquias de origem, dos seus territórios onde são naturais e para muitos nos Concelhos e Freguesias onde sempre residiram, onde guardam fortes laços de afectividade. Mas o nosso país, a nossa República não quer conceder o direito de voto.

A Democracia Portuguesa continua assim a tratar de forma desigual as cidadãs e os cidadãos nacionais, em função do seu local de residência... Cabe também ao poder local e autárquico, assegurar uma representatividade justa nas diferentes Assembleias dos seus territórios. Apelo assim a que as centenas de milhares de minhotos residentes no estrangeiro estejam devidamente representados nas diferentes Assembleias de freguesias e Assembleias municipais nas próximas eleições autárquicas 2017.

Continuaremos a militar pela defesa e salvaguarda dos direitos dos portugueses residentes no estrangeiro. Dos direitos cívicos e políticos que no nosso país continuam a ser desprezados pela República de Portugal. 2017 reserva-nos ainda muitas lutas pela frente, a Democracia constrói-se todos os dias e assim o faremos, nós comunidade Minhota residente no estrangeiro.
Um Bom Ano 2017 a todos os portugueses, onde quer que estejam!!

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Ideias

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia