Financiamento europeu para as PME que apostam na inovação

Ideias

autor

Vasco Teixeira

contactarnum. de artigos 100

O programa ‘SME Instrument’ é um instrumento de financiamento do programa Horizonte 2020 (H2020) que disponibiliza até 2,5 milhões de euros de financiamento com o objetivo de apoiar exclusivamente as pequenas e médias empresas (PME) com vocação altamente inovadora e capacidade de introduzir alterações disruptivas nos mercados globais. Pretende acelerar a introdução de tecnologias, produtos e serviços promissores no mercado. O SME Instrument dispõe de 3 mil milhões para aplicar até 2020 e desde há dois anos já investiu mais de 500 milhões de euros, tendo apoiado mais de 1200 PME europeias.

O SME Instrument procura dar resposta às necessidades de financiamento de PME que apostam na inovação e orientadas para a internacionalização e, particularmente, aos jovens empreendedores na implementação de ideias de potencial e risco elevado. Destina-se a apoiar projetos de dimensão europeia que conduzam a mudanças disruptivas na forma como os negócios são feitos (produtos, processos, serviços, marketing, etc.). Tem como objetivo lançar as empresas em novos mercados, promover o crescimento e criar elevado retorno do investimento. As propostas que podem ser submetidas este instrumento inserem-se em qualquer área dos Desafios Societais e das Tecnologias Facilitadoras e Industriais do Horizonte 2020.

Este instrumento de financiamento do Horizonte 2020 é composto por 3 fases distintas mas interligadas e com um programa de coaching e mentoring para os beneficiários, não existindo por isso obrigação das PME candidatarem-se sequencialmente às 3 fases.
Fase 1: Viabilidade tecnológica, técnica e económica (permite desenvolver melhor o conceito do da ideia/negócio e alguma validação tecnológica);
Fase 2: Projeto de inovação (permite a implementação e validação técnica da ideia, através de projectos de Desenvolvimento e Demonstração);
Fase 3: Comercialização (sem financiamento direto).

Já há um número significativo de PME portuguesas que se financiaram na Fase 1 do SME Instrument (que conta com apoio financeiro de 50000 euro a cada PME para a realização de um estudo de viabilidade de projetos inovadores).
São já mais de 50 o número total de empresas portuguesas apoiadas por este instrumento do Horizonte 2020 destinado a PME altamente inovadoras. Em 2016, Portugal foi o país com a segunda mais alta taxa de sucesso, com quase 23% de candidaturas aprovadas, um número que contrasta fortemente com os 9% da média europeia. No ano de 2016, foram 31 as PME portuguesas que entraram na elite europeia da inovação através do SME Instrument do Horizonte 2020.

Em 2016 captaram cerca de 9 milhões de euros de financiamento da União Europeia, e impulsionaram Portugal como um dos países mais bem sucedidos através deste instrumento do H2020. Desde 2014, o programa Horizonte 2020 já atribuiu mais de 100 milhões de euros a empresas portuguesas, para que estas possam desenvolver atividades de investigação e inovação.
Destacam-se alguns exemplos de PME portuguesas que obtiveram financiamento europeu. A UBQ II, com sede na Madeira, é uma microempresa, no mercado das biotecnologias azuis, que se dedica à produção de extratos naturais, obtidos a partir de macro algas marinhas.

O projeto, financiado em 800 mil euros, liga-se ao desenvolvimento de um produto, o Iodoral, um suplemento mineral de iodo, de extratos de macro algas dos mares da Madeira, recomendada para o combate à carência de iodo. A Sword Health A SWORD Health, startup portuguesa que desenvolve tecnologias na área reabilitação motora e neurológica de doentes que sofreram um Acidente Vascular Cerebral. A FASTinov, uma spin-off da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, recebeu 2,6 milhões de euros (programa Horizonte 2020), para continuar a desenvolver e colocar no mercado um kit de diagnóstico clínico que promete revolucionar a forma como os médicos prescrevem antibióticos.

Alguns exemplos de PME com financiamento na fase 1: RVE.SOL - Soluções de Energia Rural, que pretende potenciar uma solução híbrida portátil para o fornecimento de energia e conversão de resíduos em energia; AGROINSIDER, uma PME apresentou um projeto (AgroRadar) que prevê a utilização de novos algoritmos e modelos para analisar os dados de observação da Terra no âmbito do programa Copernicus em benefício da agricultura de precisão; e SPAROS, que pretende desenvolver uma nova dieta de desmame destinada a otimizar o rendimento das larvas de camarão de piscicultura.

Há 3 novas empresas portuguesas com projetos de inovação de base tecnológica que foram aprovados recentemente na fase 2 do SME Instrument do H2020. Os três projetos vão ser financiados com um total de 4,7 milhões de euros. Nesta fase foram submetidas propostas de 30 PME portuguesas, o que significa que Portugal obteve uma taxa de aprovação de 10%, mais do dobro da média europeia (4,3%).

Estas três empresas são a Perceive3D, BioMimetx e Bluemater que conseguiram financiar, respetivamente, um software inovador a nível mundial para cirurgia ortopédica assistida por computador, o desenvolvimento de um suplemento para tintas inovador, que permite reduções significativas nos custos de manutenção e consumos energéticos dos navios, e um conceito revolucionário de tratamento de águas residuais, provenientes de aterros e indústrias, que reduz de forma muito significativa os custos de tratamento em comparação com as estações de tratamento tradicionais.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Ideias

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia