Finalmente conquistamos a...

Conta o Leitor

autor

Escritor

contactarnum. de artigos 471

Eduardo Castro

A final de 2011 ainda não foi suficientemente bem digerida. Aquele golo de Falcão, aos 43 minutos, o único da partida, foi uma desilusão. Todos os milhares de bracarenses que viajaram até ao Aviva Stadium, em Dublin, estavam à espera de tudo menos da derrota. Já era um sonho estar presente naquela final. Quantos imaginariam ali estar e quantos não acreditavam que o Sporting de Braga podia chega a uma final.

Mas foi verdade. Mas também foi uma final amarga já que na estreia os bracarenses vieram com a derrota. Mas agora é tudo diferente. O nosso clube está em mais uma final e desta vez é mesmo para ganhar. O adversário é poderosíssimo mas a nossa confiança é inabalável. E desta vez temos o público connosco. São milhares e milhares de adeptos. Já desde manhã muito cedo que fazem a festa pelas ruas de Bordéus. Os emigrantes, também aos milhares, a dizerem que estão presentes para nos darem todo o apoio.

Vai ser desta. Vai ser mesmo desta que vamos levar o caneco para casa. O Mário, meu companheiro de lides futebolísticas, está confiante e quando ele, que é um pessimista por natureza, está confiante, isso que dizer alguma coisa... quer dizer que é a vitória pela certa.
Estamos em 2024. Esta época apostou- -se forte para sermos campeões nacionais. E ainda lá vamos. Faltam quatro jornadas e só estamos à espera de receber o Sporting, detentor do título, para os podermos passar para a frente. E não fossem as duas bolas na trave, em Alvalade, e ‘um azar do catano’, tínhamos ganho e já estávamos na frente. Mas desta vitória que nos pode dar o primeiro título nacional trataremos mais lá para a frente. É que este ano cumpre-se, finalmente (acho eu) um dos objectivos de António Salvador. sermos campeões. Mas lá iremos.

Na Taça de Portugal é que fomos injustamente ‘roubados’ pelo video-árbitro. Estávamos empatados em Portimão, a uma bola, quando Edimar, o nosso grande ponta-de-lança, faz o segundo golo. O adversário reclamou. O árbitro teve dúvidas e pediu ajuda ao video-árbitro. E foi aí que... todo o sistema foi ao ‘ar’ com um apagão monumental no estádio. Nada foi recuperado e o árbitro invalidou o golo. Tudo o que ficou gravado evaporou-se, desapareceu. Nada se aproveitou. Perdemos as meias-finais nas grandes penalidades. Foi cruel e cruel foram as três bolas que enviamos ao poste. Uma tarde para esquecer.

Agora a concentração é total na final da Liga Europa. Primeiro, não é todos os dias que aqui estamos. Treze anos depois voltamos a ter ao nosso alcance o primeiro título europeu. O adversário é um colosso do futebol mundial. Teve azar na Liga dos Campeões e por isso veio para a Liga Europa. Mas os adeptos ficaram zangados e hoje não aparecem em grande número. Aqui, no apoio, já somos campeões. Os adeptos do Bayern de Munique parece que não querem saber desta taça para nada. E os que aqui estão dizem que vai ser como ‘limpar o rabinho a meninos’. Isso é o que eles pensam. Vão ter a mesma moeda que o FC Porto lhes deu em 1987, quando era tudo fácil e os ‘azuis-e-brancos’ venceram por 2-1, no Praterstadion, em Viena, na Áustria, com golos de Madjer e Juary.

Bordéus já está a ‘arder’. Veste-se de vermelho e branco as cores do nosso braguinha que hoje vai fazer história. O Bayern vai jogar de branco. Também no sorteio já ganhamos. No Matmut Atlantique 30 mil são nossos. Só 10 mil não aplaudem por nós. Os nosso emigrantes compraram todos os bilhetes que havia. Deram fortunas na candonga para apoiar o nosso Braga. Os nossos guerreiros do Minho.

As portas já abriram. Ainda faltam cinco horas mas a segurança é máxima. Não deixam entrar nada. Paus das bandeiras de lado. As águas para o chão. Não passa nada. Só passa a nossa garganta bem afinada para gritar bem alto pelo nosso clube. Muito lentamente vamos entrando. Vamos passando por cada uma das cinco barreiras de segurança. Somos revistados um a um. Novamente revistados. Documentos na mão. Até o cartão de cidadão tem de estar à mão. Vamos lá que está um calor do caraças.

Finalmente estamos todos dentro do estádio. Já nem uma simples mosca entra. Tudo completamente lotado. Estamos prontos. Venha de lá essa vitória.
As duas equipas regressam aos balneários depois dos exercícios de aquecimento. Estão todos em ordem. Em excelente forma física. Não há lesionados e o técnico Leonardo Jardim conta com todos os seus jogadores. Ainda bem que em boa hora o presidente foi buscar o técnico e convencê-lo a regressar a Braga.

Todos nós sabiamos que com ele conseguimos chegar un dia longe. E, para já, isso está a acontecer. Depois de ter ganho a Liga dos Campeões pelo Barcelona, há três anos, decidiu a partir dessa altura não treinar qualquer equipa estrangeira e regressou a Portugal. Esta época o apelo de António Salvador e o abaixo assinado de mais de três milhares de adeptos acabaram por convencer o técnico a regressar a Braga. E que excelente regresso.

Vamos lá guerreiros. É desta. E já vi que o Edimar, o nosso ponta-de-lança por excelência tem o pé quente e a pontaria afinada. Vai ser coroado, com toda a certeza o rei dos marcadores: 64 golos já marcados esta época e o título também vai ser dele. Pena é que já esteja vendido ao Real de Madrid. Depois da saída, na época passada, de Cristiano Ronaldo para os chineses do Shanghai SIPG, ainda treinado por Villas Boas, os ‘merengues’ precisavam de um jogador como o nosso. Por isso não se importaram de pagar os 230 milhões de euros. Uma das 10 maiores transferências mundial até hoje. É só esfregar as mãos de contente. Os cofres do clube estão cada vez mais cheios e com títulos. Mas vamos esperar calmamente.

As equipas chegam. Entram no terreno de jogo. Tudo preparado. Falta pouco. Muito pouco para o grande espectáculo do ano. Escolhem campo. Escolhem bola. Cumprimentam-se. Vão-se posicionando no campo. O apito está quase, quase a ser soprado. A festa vai começar.
Vamos a eles Braaagaaaaaaaa.......
(.................................................................................................................................................................................................).
Pois... ia eu tão lançado mas esqueci-me que não podia relatar o jogo. Nao tenho licença para o descrever. Para vos contar tudo aquilo que se passou dentro e fora das quarto linhas.
Mas... já posso dizer: gánhamos. Somos campeões. O Edimar marcou o golo da vitória. Gánhamos por 1-0. Que grande exibição.
Já podem abrir o champanhe. O espumante. As cervejas gigantes que tinham guardadas no frigorífico. Hoje é dia de festa. É dia de título. O nosso Braguinha é gigante. Conquistou o título. Conquistou a Liga Europa...

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Conta o Leitor

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia