A Semana do Fado... fado com história

Escreve quem sabe

autor

Félix Alonso Cabrerizo

contactarnum. de artigos 17

“ASemana do Fado afirmou Braga no campo da arte de cantar o Fado e engrandeceu Braga como cidade cultural. A Semana do Fado de Braga foi um evento diferenciador que projetou não apenas a marca Braga Cultural, como também toda a região. A cidade de Braga entre 22 de agosto e 2 de setembro de 2017, foi anfitriã do Fado o que constituiu uma aposta ganha da ACOFA/BragaFado/Associação e uma bandeira de referência para o Município de Braga.”
(Américo Camarinha - Presidente da ACOFA/BragaFado - Semana do Fado)


Esta 1.ª edição deste evento, tem a particularidade inovadora de passar e explicar a História do Fado e o canto do Fado Tradicional as pessoas e publico, diretamente e espontaneamente ao vivo de uma forma real, transparente, metódica, seguindo uma linha de colaboração com o Museu do Fado.
Nossa envolvência é dar ao fado tradicional um âmbito especial, no qual aplicamos parâmetros académicos e metódicos. Sabemos a importância que tem ao viver e comentar estas visitas guiadas da Semana do Fado - Fado com história que temos realizado, no Palácio do Raio, da Santa Casa da Misericórdia de Braga. Diga-se com grande sucesso e contando com 318 pessoas de diferentes países e cerca de 3000 visitantes/presenças durante os 10 dias que durou o evento.
Isto demonstra que o Fado tem muita importância no mundo inteiro e desde que fui promulgado pela UNESCO no 27 de novembro de 2011, em Bali, Indonésia o Fado Património Imaterial da Humanidade, o Fado não só é de Braga, de Portugal, agora é do Mundo inteiro.

Esta semana do Fado - Fado com História, transmiti-o a identidade e alguma lusa a traves de um repertório celebrizado pelos fadistas Alfredo Marceneiro, Fernando Maurício, Berta Cardoso, Joaquim Campos e Dona Maria Teresa de Noronha.
As visitas guiadas da Exposição, foram conduzidas pelo Maestro Félix Alonso Cabrerizo (Estudioso, Investigador e Diretor da Escola de Fado da ACOFA), Margarida (uma Jovem fadista de 17 anos, com um grande futuro pela frente, canta 60 Fados Tradicionais e mais de 20 fados canções) e o professor João Paulo Proença, guitarrista e bom músico, que tem assistido aos cursos do famoso Guitarrista Custódio Castelo.
Em todo o evento foram cantados 140 Fados quase todos Tradicionais.

No Jantar/concerto de Fado na Minha na Voz do dia 25 agosto na Casa do Professor, merece destaque a fadista Liliana Macedo, com muito talento e estilo muito próprio, interpretou o Fado da Defesa e Rosa Enjeitada (temas de excelência de Dona Teresa de Noronha) e o Fadista Manuel Granja, com muita experiência cantou o Fado Cravo (Alfredo Marceneiro) e o Fado Tango (Joaquim Campos) acompanhados pelo Amável Carneiro (Guitarra Portuguesa) e Pedro Martins (Viola).
O Fado e a Casa, realizou-se no dia 29 agosto, no Inatel - Delegação de Braga com Barbara Bentes com uma boa interpretação do Fado Cuf (Alfredo Marceneiro) e um excelente Fado Menor (Meu Coração Parou) e o Jovem prometedor Fa- dista Miguel Xavier de 22 anos, maravilhou o público, com uma perfeita dicção, uma vocalização e expressão do poema, Fui de Viela em Viela (Fado Cravo) de Alfredo Marceneiro, um espetacular Fado de Pedro Rodrigues com alto nível e grande estilo acompanhado por Miguel Amaral (Guitarra Portuguesa) e André Teixeira (Viola).

A Conferência/Tertúlia na Casa do Professor, contou com a presença de Tiago Torres da Silva, um encenador e letrista de Fados, homem de grande cultura e sabedoria e teve a companhia Félix Alonso Cabrerizo (ACOFA), Toni Reis (fadista) e coordenado por Américo Camarinha (Presidente da ACOFA).
O Dia 31 agosto na Livraria Centésima Página, com o Fado e os Bairros se converteu em lugar de culto de Fado, rodeados de livros, o Fado teve momentos muito brilhantes, com a jovem Margarida com um talento impressionante, mostrou toda a sua arte de bem cantar o ‘Boa Noite Solidão’ (Fernando Maurício), ‘Fado das Horas e Fado Pechincha’ (Dona Maria Teresa de Noronha) ‘Minha Culpa’ (Berta Cardoso) e teve o encanto de cantar o ‘Fado Canção Fui ao Baile’ uma obra-prima. Jorge Gomes, Fadista deu uma lição de Fado, cantando poemas de Fados Tradicionais, só a altura dos melhores, como o ‘Fado Mocita dos Caracóis’, ‘Fado Odéon’ (Alfredo Marceneiro), ‘Fado Proença’ e ‘Fado Freira’ (Fernando Maurício) e ademais ‘Fado Menor’, ‘Fado Mouraria’ e ‘Fado Lopes’, impressionando o público, com o acompanhamento magistral dos guitarristas, Mário Henriques (Guitarra Portuguesa) e Bruno Brás (Viola).

E para finalizar o dia 2 de setembro - ‘O Fado Aristocrático’, no Palácio do Raio, com imenso público, ficou emocionado com a arte e cultura deste grande fadista Toni Reis, que brilhou com o Fado da Caldas de D. Vicente da Câmara, com Fado Pintadinho (obra lindíssima de Dona Maria Teresa Noronha), Fado Vadio e Igreja de Stº Estevão (Fado Vitória) duas obras geniais de Fernando Maurício, acabando com o Fado Mouraria. Margarida Rocha que teve uma boa prestação, podia ir mais longe se trabalha-se com mais rigor o Fado Tradicional, mesmo assim cantou um belíssimo Fado Alexandrino de J. Campos, o Fado Vitória (A Candeia), Fado Magala (O Vento) de Dona Maria Teresa de Noronha e Fado da Sina com o acompanhamento de Mário Henriques (Guitarra Portuguesa) e Bruno Brás (viola).
A Semana do Fado foi um sucesso, pelo carinho dos Bracarenses e ACOFA Braga Fado Já tem um lugar de referência na Braga Cultural e em toda a região.

vote este artigo

 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos desta categoria - Escreve quem sabe

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia