Braga candidatou-se a Cidade Criativa da UNESCO Media Arts

Braga

autor

Redacção

contactar num. de artigos 34760

Braga submeteu a candidatura a Cidade Criativa da UNESCO, na categoria Media Arts, um projecto que pretende aprofundar o cruzamento entre arte e tecnologia e reforçando Braga como a referência nas Media Arts em Portugal.

O Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, encara esta candidatura como um trabalho em curso, ao mesmo tempo que reconhece o já grande esforço da sociedade civil e de diversas instituições da cidade na transformação digital da cidade. “Esta candidatura surge porque, como colectivo, somos uma cidade onde a investigação, a criatividade, a cultura, a juventude e a artes navegam em sentidos convergentes, criando uma rede de conhecimento profunda, onde entidades como as universidades, as unidades de investigação ou o INL têm um enorme papel”.

Esta candidatura, que o presidente da Autarquia considera que será “coroada de êxito” demonstra todo o trabalho que está a ser efectuado em Braga no âmbito da cultura e que visa também candidatar o município a Capital Europeia da Cultura em 2027.

Para a responsável da candidatura, Cláudia Leite, “a candidatura de Braga a Cidade Criativa da UNESCO em Media Arts é um processo colectivo extenso e pluridisciplinar que tem como objectivo transformar Braga numa cidade onde artes, ciência, tecnologia e comunidade crescem juntas e onde o talento e as boas ideias encontram um território fértil para o seu crescimento. É uma chamada a que já responderam criadores, pensadores, fazedores e parceiros, para pensarem o futuro da cidade e o seu desenvolvimento social e urbano“.

A futura nomeação de Braga como Cidade Criativa da UNESCO em Media Arts, vai permitir que a cidade partilhe experiências e boas práticas, incentivando parcerias, co-criações e networking com os restantes membros internacionais, assim como colaborando no desenvolvimento de projectos conjuntos.

O plano de acção que define e orienta a candidatura prevê um conjunto de medidas e projectos que serão postos em prática aquando da designação pela UNESCO, nomeadamente a criação de um Media Arts Centre, um novo centro criativo de Braga, que será uma plataforma de trabalho para artistas nos diversos campos das artes digitais, investigadores, estudantes, empresas e startups de tecnologia; o Primeiros Bits na escola, um programa de literacia em criação musical colaborativa, design de software, educação musical e inclusão social para todo o tecido educativo local; o programa Digital Heritage, um programa inovador e ambicioso que liga um conjunto de parceiros (museus, gestores de monumentos, investigadores, criadores, professores, agentes de turismo, etc.) em três níveis diferentes: digitalização de arquivos e património, ferramentas de educação patrimonial e storytelling turístico e um ainda um Festival Internacional Braga Media Arts, que será um grande momento anual de celebração, mostra, encontro e debate sobre Media Arts, onde artistas, público e especialistas se encontram, colaboram e partilham experiências.
Serão igualmente criadas plataformas de circulação e partilha de conhecimento entre investigadores e projectos através da atribuição de bolsas e promoção de estadias de curta e longa duração e ainda um programa internacional de intercâmbio para novos ou actuais empreendedores no domínio das artes e tecnologias digitais
O processo de candidatura a Cidades Criativas da UNESCO prolonga-se até dia 16 de Junho, sendo esperada uma decisão da entidade até ao final do próximo mês de Outubro.

Esta iniciativa contou com o apoio e trabalho activo do cluster tecnológico de Braga, reunido num conselho consultivo, constituído por empresas de tecnologia, estúdios de comunicação digital, laboratórios e centros de investigação na área da robótica, jogos, multimédia e media arts e instituições do município e, igualmente, artistas, entidades e associações culturais e instituições do sistema de ensino e representantes de entidades regionais e nacionais numa união de esforços que se prolongará no tempo e em rede.

O que é a Rede de Cidades Criativas?
A Rede de Cidades Criativas da UNESCO (UCCN) foi criada em 2004 para fortalecer a cooperação entre cidades que consideram a criatividade um factor estratégico de desenvolvimento urbano sustentável com impacto social, cultural e económico. O principal objectivo desta iniciativa é colocar o sector cultural e criativo no centro do planeamento estratégico das cidades, ao mesmo tempo em que promove uma colaboração activa entre as cidades membro da rede. Actualmente conta com 116 cidades de 54 países, em sete domínios criativos: Artesanato, Design, Cinema, Gastronomia, Literatura, Música e Media Arts. Braga é candidata no domínio das Media Arts, onde já estão integradas nove cidades criativas: York (Reino Unido, 2014), Linz (Áustria, 2014), Enghien-Les-Bains (França, 2013), Lyon (França, 2008), Austin (EUA, 2015), Dakar (Senegal, 2014), Tel Aviv (Israel, 2014), Gwangju (Coreia do Sul, 2014) e Sapporo (Japão, 2013).

Iniciativas já existentes no domínio das Media Arts
A internacionalização do binómio Braga + Media Arts parte também de uma série de agentes e eventos que transportam o nome da cidade para outras latitudes. Mais do que uma descrição exaustiva, descrevemos uma amostra desta representação internacional, destacando o Semibreve, festival de música electrónica e artes digitais, que está já na sua 6ª edição e que conta com uma afluência de público na ordem das 12 mil pessoas, trazendo anualmente a Braga alguns dos artistas mundiais mais relevantes da área. O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), o único centro europeu de investigação nas várias aplicações da nanotecnologia, está sediado em Braga e colabora regularmente com empresas, universidades e artistas, dando um importante contributo para a expansão das Media Arts no território. O média artist e investigador João Martinho Moura colabora frequentemente com instituições do Sistema Cientifico e é um dos mais prolíferos artistas bracarenses dedicados às Media Arts. A sua obra tem sido comissionada por diversos festivais e museus de todo o mundo. É um dos seis elementos do BRG Collective, um colectivo de criadores de Braga de diferentes áreas artísticas que explora as relações entre som, imagem e artes digitais, gerando o diálogo entre disciplinas e estimulando a contaminação entre os domínios da criação, ao mesmo tempo em que promove nacional e internacionalmente o trabalho dos seus artistas. O Braga International Video Dance Festival é uma mostra anual onde se apresentam trabalhos que exploram a relação com o corpo e a tecnologia, usando a vídeo-dança como meio de expressão. Finalmente, referimos a importância de um equipamento como o gnration na cidade. Um espaço orientado para a promoção de actividades artísticas e para a exploração e disseminação das artes digitais, através da música contemporânea e das Media Arts. A sua programação é diversificada e inclusiva, de carácter formativo e expositivo, onde são apresentados concertos, performances e exposições no campo das artes digitais e novos media. O serviço educativo é uma das prioridades estratégicas desta estrutura, que realiza projectos com crianças da região e grupos em situação de risco social.
É com base nesta diversidade, que inclui diferentes agentes da comunidade, que surge esta candidatura, com a missão última de alargar a presença das Media Arts a um público ainda mais vasto.

*** Nota da C.M. de Braga ***

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia