Câmara de Barcelos distingue cidadãos com Medalha de Mérito

Cávado

autor

Miguel Viana

contactar num. de artigos 1930

O dirigente do Grupo Folclórico de Barcelinhos e organizador do Festival de Folclore do Rio, Rodrigo a Amaral, e o escritor e jornalista Avelino Mesquita, foram agraciados ontem com a medalha de Mérito Cultural Grau Prata, pela Câmara Municipal de Barcelos.
A Medalha de Mérito destina-se “a galardoar qualquer indivíduo ou entidade que tenha prestado notáveis serviços ao concelho de Barcelos ou que tenham praticado actos de notável importância”, revela o regulamento municipal de atribuição de Medalhas de Mérito.

A homenagem decorreu no âmbito das comemorações dos 89 anos da elevação de Barcelos à categoria de cidade, e resultou de uma proposta do município datada de 25 de Agosto passado. “Entregamos mais duas distinções a dois cidadãos barcelenses pelo seu contributo na área da cultura e do movimento associativo. Ao senhor Rodrigo Amaral, pelo seu empenho no associativismo e, dentro dele, pela promoção das nossas mais profundas raízes culturais que é o folclore. O nome de Rodrigo Amaral sempre estará ligado ao sucesso do Grupo Folclórico de Barcelinhos.

O senhor Avelino Mesquita é um homem de cultura”, lembrou Miguel Costa Gomes.
No caso de Rodrigo Amaral, a autarquia teve em conta o trabalho realizado ao longo de vários anos, que permitiu a preservação da cultura local.
Ausente por motivos de doença, Rodrigo Amaral foi representado pela esposa, Maria José Amaral, que recebeu a distinção.
Maria José Amaral lembrou o trabalho desenvolvido pelo marido “para que de ano para ano o festival [do Rio] fosse possível” e transmitiu os agradecimentos aos presidentes da Junta de Freguesia de Barcelinhos e da Câmara Municipal de Barcelos pelo apoio dado à realização do festival.

No que se refere a Avelino Mesquita, a autarquia teve em conta, segundo a proposta apresentada, “a presença assídua na imprensa regional e local, sendo autor de obras nas áreas da poesia e teatro. A par destas actividades teve um papel determinante no associativismo local, nomeadamente no desporto e na cultura”.
O homenageado, de 91 anos, mostrou-se sensabilizado pela homenagem prestada e justificou-a com “o amor à terra” onde nasceu (freguesia de Balugães).

Mostrando-se “orgulhoso por estar aqui” a receber a distinção, Avelino Mesquita disse ainda estar “sinceramente grato à autarquia baluganense” pela homenagem que lhe prestaram ao atribuir o seu nome a uma rua da freguesia. O homenageado aproveitou a ocasião para dar a conhecer o património natural e histórico da freguesia.
A entrega das medalhas contou com momentos musicais da violoncelista Rita Fernandes e do Grupo Folclórico de Barcelinhos.

Elevação à categoria de cidade aconteceu há 89 anos

A Câmara Municipal de Barcelos assinalou ontem a passagem dos 89 anos de elevação à categoria de cidade com uma sessão solene.
O momento da transição de vila para cidade (em 1928) foi encarado pelo presidente da autarquia, Miguel Costa Gomes, como sendo de grande importância. “A passagem a cidade representa um reconhecimento da importância de Barcelos no contexto económico, social e político da região. Tanto mais que o concelho vivia uma fase de grande prosperidade e crescimento”, disse o autarca.

Oitenta anos depois, e ainda segundo o edil barcelense, continua a ser importante assinalar a data. “Nos últimos anos temos concluído da importância deste momento para a afirmação da nossa cidade e para lembrar todos aqueles que contribuíram para o engrandecimento da nossa cidade sobe as mais diversas formas”, frisou Miguel Costa Gomes.
Em declarações aos jornalistas, Miguel Costa Gomes lembrou que este foi a oitava vez que assinalou a data como autarca. “Embora tenha sido ao longo dos anos uma cerimónia simples, temo-la feito sempre com uma dignidade de um momento que é uma referência”, adiantou Miguel Costa Gomes.

O ponto alto da cerimónia foi a homenagem a dois cidadãos barcelenses, que se distinguiram nas áreas do associativismo (Rodrigo Amaral) e da cultura (Avelino Mesquita). “Aproveitamos estes momentos para homenagear cidadãos e instituições que têm o seu mérito, a sua importância naquilo que é o desenvolvimento colectivo do próprio município”, disse Miguel Costa Gomes, lembrando que este tipo de homenagens não foi possível antes de 2016 “porque os regulamentos não estavam prontos. É preciso criar disciplina na atribuição destas distinções para dignificar aquilo que é o nosso objectivo. Fizemos o regulamento o ano passado, e a partir daí, de uma forma selectiva em função da importância de cada um desses cidadão, temos vindo a homenageá-los”.

Olhando para o futuro, o autarca barcelense prometeu continuar a fazer o esforço “de ir resolvendo os problemas à medida que têm surgido. Temos resolvido muitos problemas e temos ainda muitos para resolver. Vamos fazendo de uma forma dedicada e empenhada. É o caso do Mercado Municipal e do nó rodoviário de Santa Eugénia”.
A cerimónia um desfile de bombeiros entre o antigo quartel dos Bombeiros Voluntários de Barcelinhos até ao Largo do Município) e o içar da bandeira na fachada do edifício da Câmara Municipal de Barcelos, pelo autarca Miguel Costa Gomes. No final houve um convívio entre todos os convidados.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia