Esposende garante transporte social a crianças e jovens portadores de deficiência ou com necessidades educativas especiais

Braga

autor

Rosa Santos

contactar num. de artigos 198

No próximo ano letivo, o Município de Esposende continuará a garantir apoio no transporte a munícipes portadores de deficiência, e a crianças e jovens com Necessidades Educativas Especiais (NEE’s). A medida, que corresponderá a um encargo global de aproximadamente 30 mil euros, enquadra-se nas políticas de reforço da solidariedade e coesão social da Câmara Municipal, tendo sido aprovada, por unanimidade, em reunião do executivo.

Em causa está o apoio ao transporte adaptado, ao transporte para tratamentos especializados e a comparticipação da aquisição do passe social, abrangendo atualmente 22 cidadãos residentes no concelho.

Através de protocolo estabelecido com a Delegação de Marinhas da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), o Município tem garantido, assim, a deslocação a 15 jovens do concelho, com deficiência motora ou mental, desde o domicílio até diversos Centros de Atividades Ocupacionais localizados no concelho ou em concelhos vizinhos. Dado que a maioria destes jovens utiliza a cadeira de rodas para a sua locomoção, necessitando de transporte adaptado, a Câmara Municipal tem vindo a manter esta parceria com a Delegação de Marinhas da CVP, garantindo as condições de conforto e acompanhamento destes jovens.

Este protocolo abrange também o transporte de três crianças com NEE’s para tratamentos especializados integrados na APAC - Associação de Pais e Amigos de Crianças, sediada em Barcelos. Recorde-se que em virtude da cessação do apoio da Administração Central no transporte destas crianças para os referidos tratamentos, o Município tem vindo a assegurar, desde abril passado, parte dos encargos com a sua deslocação, ultrapassando assim o que são as suas competências.

Para além do apoio a estes jovens, a Autarquia comparticipa ainda nos custos do passe social a quatro munícipes que, sendo portadores de deficiência, não necessitam de transporte adaptado, utilizando os transportes públicos para as suas deslocações neste enquadramento.

Refira-se que, em todos os casos, as famílias são chamadas a comparticipar nos custos do respetivo transporte de acordo com as suas possibilidades, sendo o valor determinado com base numa análise socioeconómica efetuada a cada agregado familiar.

Ajustando-se às várias dimensões da vida social e profissional dos agregados familiares, o transporte social tem vindo a traduzir-se numa medida de proteção social que torna mais fácil a conciliação entre a vida familiar e profissional dos agregados familiares, sobretudo naqueles que incluem pessoas dependentes na mobilidade.

*** Nota da C.M. de Esposende ***

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia