Fábio Martins saltou do banco para dar a vitória ao SC Braga em Moreira de Cónegos

Desporto

autor

Carlos Costinha Sousa

contactar num. de artigos 814

Mais forte a todo o pano, o SC Braga conquistou, ontem, uma vitória por 1-0 no dérbi minhoto em casa do Moreirense. Fábio Martins saltou do banco para desatar um nó que parecia complicado e confirmou o triunfo bracarense e a subida ao quarto lugar da I Liga. Os primeiros 45 minutos de jogo não trouxeram novidades nem alterações no que diz respeito ao marcador, com o empate a manter-se até ao intervalo.

No entanto, foi um primeiro período de jogo que decorreu com sinal mais para os Guerreiros do Minho, que assumiram as despesas ofensivas da partida, perante um Moreirense que mostrava muitas dificuldades para construir situações de ataque, quer pela boa organização defensiva da equipa bracarense, quer também por estar algo recuada no terreno e a jogar muito na expectativa, à espera do erro do adversário ou de espaços em que os velozes Arsénio e Zizo pudessem explanar a sua velocidade e capacidade técnica, em rápidas transições. Essa foi, no entanto, uma tentativa que não passou dos planos de Manuel Machado para a prática, já que raramente o Moreirense conseguiu aproximar-se com perigo do sector mais recuado dos bracarenses.

Do lado dos arsenalistas, Paulinho assustou com um remate muito forte que obrigou Jhonatan a defesa de bom nível para evitar o golo. Logo a seguir foi Fransérgio a rematar com selo de golo, mas nova defesa espectacular do guardião moreirense.

Sem alterações no marcador, para o segundo tempo, Manuel Machado retirou um médio e fez entrar o avançado Cádiz, mostrando vontade de se afirmar mais a nível ofensivo. E foi o que aconteceu, com o Moreirense a tentar (e a conseguir) incomodar mais a equipa bracarense no seu sector defensivo, mas também sem conseguir levar a sensação de golo ao Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas.

Mas, apesar de uma ligeira subida do Moreirense no terreno, os cónegos continuaram sempre muito remetidos ao seu sector defensivo, com o SC Braga a manter a toada ofensiva da partida e a conseguir, por vezes, criar situações de perigo, a que o guarda-redes Jhonatan respondeu sempre de forma brilhante, como foi exemplo o minuto 77 em que defendeu, por duas vezes, remates quase à queima de Ricardo Horta, evitando o golo.

E os minutos foram passando sem que os golos surgissem, com o SC Braga sempre mais perigoso e a acreditar que poderia chegar ao golo. E a essa crença teve mesmo resultado quando, aos 89 minutos, Paulinho cruzou com conta, peso e medida para o ligeiro desvio de Fábio Martins para o golo solitário que confirmou os três pontos para os Guerreiros do Minho.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia