Fadista vianense Jorge Gomes vence Gala BragaFado 2017

Braga

autor

Marta Amaral Caldeira

contactar num. de artigos 1675

O Theatro Circo teve ‘casa cheia’ na noite de sábado para ouvir cantar o fado mais tradicional, num concurso de fadistas que se tornou um verdadeiro espectáculo musical que sagrou Jorge Gomes como o vencedor da gala 2017.

Jorge Gomes trouxe ao espectáculo o fado mais tradicional de todos: o fado menor, com o tema ‘Chorai Fadistas, Chorai’ (letra de Linhares Barbosa e música popular) e foi com ele que se sagrou na noite como o artista preferido de um júri atento e criterioso, constituído pelo professor de música e historiador de fado Félix Alonso, pelo director do jornal ‘Correio do Minho’, Paulo Monteiro, pela directora da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, Aida Alves e pelo professor Vítor Gandarela, director artístico do festival de Guitarra de Braga.

A ‘competir’ com Jorge Gomes (Viana do Castelo) nesta noitada de fados esteve Soraia Cardoso (Condeixa-a-Nova), Sandrina Ribeiro (Fafe), Ana Dias (Guimarães), Joana Lopes (Vila Nova de Gaia), Ana Neves (Braga), Marília Delgado (Valpaços) e Sara Costa (Braga) e apenas com a excepção de um, todos os outros interpretaram o fado mais tradicional, numa grande e sentida homenagem ao fado e a tudo o que ele representa.

A acompanhar os fadistas estiveram os músicos Mário Henriques (guitarra portuguesa), Bruno Brás (viola) e Torcato Regufe (baixo acústico).
“Estou muito feliz. Mesmo muito feliz”, confessou o fadista vianense Jorge Gomes confessou ao jornal ‘Correio do Minho’. “É sempre muito enriquecedor e sabe muito bem este reconhecimento público, até porque esta noite (anteontem) fui acompanhado no palco por outros grandes fadistas, grandes vozes mesmo, e podia não ter ganho. Esta foi a minha noite e foi uma noite feliz”, afirmou.

Aos 40 anos, o motorista da empresa ‘Abreu e Pedra’ de Viana do Castelo, contou que há mais de 20 que canta fado. “Já estive um ano e meio a cantar numa casa de fados, mas na altura não era bem o que queria fazer, embora tivesse continuado e continuo a cantar em casas de fadio, restaurantes e se me comvidarem em espectáculos - pois é algo que eu amo mesmo e eu vou cantando por aí, sempre que me deixarem”, disse o fadista da noite.

Esta foi a quarta vez que o fadista vianense concorreu ao BragaFado e desta foi realmente de vez. “É um prazer muito grande para mim participar nestes eventos promovidos pela ACOFA - que, a meu ver, tem um grande mérito ao valorizar o fado mais tradicional e foi precisamente esse fado que eu trouxe a este espectáculo”.
“Esta foi, de facto, a minha noite e para mim tem um significado muito especial, pois temos sempre que continuar e nunca desistir - isso é o mais importante e viva o Fado!”, atirou Jorge Gomes.

“Um espectáculo de fado com muito gosto num cenário lindíssimo no Theatro Circo”

A gala do BragaFado 2017 foi um autêntico “êxito do fado tradicional”, tal como sublinhou no final da noite Félix Alonso, responsável da ACOFA, mas corroborado pelos fortes aplausos do público bracarense - que foi uma ‘grande companhia’ dos fadistas que subiram ao palco do Theatro Circo. O reconhecido fadista José da Câmara foi o apresentador da gala, presenteando a assitência com a sua actuação, arrancando dos bracarenses grande entusiasmo.

“Isto não foi um concurso, foi um espectáculo de muito bom gosto, dedicado ao fado, que fizeram aqui em Braga”, destacou, no final da gala, o fadista José da Câmara, confessando-se “surpreendido pela positiva” com o talento que encontrou nesta cidade. “O cenário era lindíssimo, no palco deste Theatro Circo que é igualmente lindíssimo e as vozes a cantar o fado tradicional - que vai sendo cada vez mais raro nos tempos que correm - é algo que distingue, de facto, esta gala de Braga, e estou surpreendido com o talento dos concorrentes que souberam estilizar a canção à sua maneira, sem colagens a outros artistas e o público bracarense é realmente extraordinário e acompanhou muito bem”, frisou José da Câmara. A gala prestou também um tributo ao pai de José da Câmara, e o fadista agradeceu, referindo “saio daqui de coração cheio”.

A representar a Câmara Municipal de Braga na gala BragaFado 2017 esteve o vice-presidente Firmino Marques, que indicou ter assistido “a um espectáculo de fados de grande qualidade”, referindo que o facto de ter havido uma maior selecção dos concorrentes, tendo-se apresentado oito ao concurso, agradou muito ao público que assistiu”. O facto de este espectáculo ter contado com a presença de José da Câmara, “ajudou a que a gala fosse ainda mais brilhante”.

Firmino Marques sublinhou o trabalho da organização, a cargo da ACOFA e também a “qualidade dos fadistas” que “brindaram os espectadores que encheram o Theatro Circo”. Um espectáculo de fado que o vice-presidente da autarquia bracarense referiu ter sido “uma grande homenagem ao fado que é uma canção distinguida pela UNESCO como património da Humanidade”.

Félix Alonso, responsável da ACOFA, mostrou-se muito contente com o grandioso espectáculo de fado no Theatro Circo, agradecendo a todos os parceiros que apoiaram esta iniciativa, desde logo a Remax que ofereceu o prémio de 600 euros ao vencedor. “Seria bom que houvesse mais apoios, pois há muita gente a descobrir o fado e penso que temos um futuro no Fado para o bem de Braga”, disse.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia