Homem atingido a tiro na perna quando ia ao banco depositar dinheiro

Casos do Dia

autor

Miguel Viana

contactar num. de artigos 1950

Um homem, com cerca de 50 anos, foi baleado ontem numa perna ao reagir a um assalto na Rua do Feital, em Frossos. O caso aconteceu por volta das 10 horas, quando a vítima se dirigia à dependência do banco Crédito Agrícola existente a poucos metros. Foi abordado por um outro homem que lhe terá tentado furtar a pasta com dinheiro. Ao reagir, a vítima foi atingida com um tiro na perna. “Ouvi os disparos e quando olhei para a rua vi dois homens a correr (no sentido da rotunda de Real para Dume) e um deles disparou para o outro”, contou ao Correio do Minho uma lojista da zona.

A vítima refugiou-se num café da mesma rua. “O senhor fugiu para o café e o outro acabou por fugir. Ele foi atingido mesmo à porta do café. O outro fugiu e não sei se estava acompanhado ou não. Não vi para que lado ele fugiu, mas gerou-se aqui alguma confusão. Ele deve ter reagido porque não devia contar que quem o atacou estivesse armado” adiantou a mesma testemunha.
A Polícia Judiciária adiantou à agência Lusa que os assaltantes puseram-se em fuga na viatura em que se faziam transportar, e que está a investigar o caso.

A vítima, funcionário de uma superfície comercial existente nas proximidades, deslocava-se àquela agência bancária com alguma regularidade. O valor contido na mala é desconhecido.
A vítima foi assistida no local pelo INEM, que acabou por transportá-la ao Hospital de Braga.
As autoridades policiais iniciaram a investigação de imediato “A Polícia, a GNR e a Polícia Judiciária estiveram aqui e fecharam isto tudo. Eu tive de fechar a loja e todas as lojas aqui fecharam. Ninguém podia entrar ou sair durante algum tempo aqui na zona porque eles (as autoridades) andaram à procura das balas, porque houve tiros”, revelou a mesma lojista.

A testemunha indicou ainda que “inicialmente pensei que era algum desacato, porque tem havido desacatos aqui. Só depois é que percebi que se tratava de um assalto.
Populares disseram ao ‘Correio do Minho’ que tem havido alguns desacatos na zona, principalmente à noite e aos fins-de-semana.
“É frequente haver conflitos aqui, principalmente entre grupos de jovens. Eu ouços-os muitas vezes cá fora, mas não saio de casa porque tenho medo” indicou um morador da zona.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia