Câmara de Famalicão vai plantar árvores autóctones em terrenos florestais privados

Vale do Ave

autor

Redacção

contactar num. de artigos 34681

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai estabelecer acordos de parceria com os proprietários de terrenos florestais no concelho para a promoção da reflorestação do território, através da plantação de árvores e arbustos autóctones. A iniciativa que se insere no âmbito do projeto “25 mil árvores até 2025” foi apresentada esta quinta-feira, em reunião do executivo municipal.

De acordo com a proposta, os proprietários que aderirem ao projeto têm apenas realizar os trabalhos de preparação dos terrenos para a plantação das árvores e autorizar a presença de técnicos da autarquia e de voluntários para a realização de tarefas necessárias à plantação de árvores e cuidados posteriores por um período de cinco anos. Os proprietários ficam também impedidos de abater as árvores plantadas por um período de mínimo de 15 anos.

Por seu lado, a autarquia compromete-se a financiar o projeto de arborização dos terrenos que deverá ser submetido ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e a custear e ceder as árvores a plantar, ajustando com os proprietários as condições de plantação, respeitando os usos de propriedade.

Para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, “com esta iniciativa de grande alcance ambiental, a autarquia está a envolver a comunidade em projetos que são da comunidade. A plantação das 25 mil árvores é um projeto concelhio em que a Câmara Municipal é apenas o impulsionador”.

O autarca refere ainda que é muito importante “atrair a atenção dos famalicenses e envolve-los no projeto. Já temos a participação de muitas associações e até empresas do concelho, agora estamos a tentar chegar aos proprietários dos terrenos para que eles também se interessem e envolvam no projeto”, salienta.

“O objetivo principal é rearborizar o território, devolver vida, proteger a natureza e criar condições de futuro para a comunidade”, acrescenta, salientando que, nesta fase, o projeto ganha renovada importância, tendo em conta os efeitos nefastos da grande vaga de incêndios que assolou o país durante o Verão.

O projeto “25 mil árvores até 2025” foi lançado há cerca de um ano e pretende reabilitar aproximadamente 25 hectares do território concelhio através da plantação de 25 mil árvores e arbustos nativos da região em áreas urbanas, espaços rurais, ao longo das linhas de água e em montes e serras.

As árvores autóctones são uma aposta deste projeto, nomeadamente carvalhos, medronheiros, castanheiros, loureiros, azinheiras e sobreiros entre outros. Para além da forte ligação à história da região, estas espécies estão mais adaptadas às condições do solo e do clima do território, por isso, são mais resistentes a pragas, doenças ou longos períodos de seca ou chuva intensa. Embora de crescimento mais lento, são também mais resistentes aos incêndios florestais, constituindo o refúgio e abrigo de muitas espécies de animais, levando a um aumento exponencial da biodiversidade.

Neste momento, a autarquia já começou a contactar os proprietários dos terrenos florestais, sensibilizando-os para o projeto.

*** Nota da C.M. de Vila Nova de Famalicão ***

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia