Mesquita Machado: “cidade vai ficar espectacular!”

Braga

autor

Marlene Cerqueira

contactar num. de artigos 1365

O presidente da Câmara Municipal de Braga assegurou ontem que quando as obras de regeneração urbana em curso estiverem concluídas, “a cidade vai ficar espectacular”. Segundo Mesquita Machado, “Braga vai ficar com um aspecto “muito agradável” e “muito mais valorizada em termos patrimoniais”.

“Pelas imagens virtuais já é possível ver que as obras vão valorizar muito mais a cidade”, sublinhou criticando as vozes que têm apontado dedo a estas intervenções. “As pessoas gostam de falar e muitas vezes falam daquilo que não sabem. Por exemplo, houve quem dissesse que ia embargar as obras do Campo das Hortas porque estavam a diminuir as zonas verdes, o que não é verdade. A área verde não vai diminuir. Os passeios vão ficar mais largos, mas à custa das vias de circulação automóvel”, referiu, lembrando ainda que as intervenções estão a ser realizadas com os pareceres favoráveis do Igespar, como é o caso do Campo das Hortas.

Sobre os achados arqueológicos trazidos à luz do dia no decurso das obras na Rua de São Vicente e no Campo das Hortas, Mesquita Machado admitiu que “já era previsível” esta descoberta, porque é naquelas zonas que passam os aquedutos das Sete Fontes. “São condutas medievais, da época em que foram construídas as habitações naquelas ruas, mas que já nem serão as originais porque terão sido alteradas”, explicou, sublinhando que todas as obras públicas são acompanhadas pelo Gabinete de Arqueologia da câmara. “O Município de Braga não recebe lições de património de ninguém”, frisou o presidente, garantindo que as escavações arqueológicas estão a decorrer “como devem ser feitas”.
Se para Mesquita Machado as obras de regeneração urbana vão transformar o aspecto da cidade “para muito melhor”, já a oposição diz que esta é mais “uma oportunidade perdida” para se pensar a cidade, concretamente em termos de mobilidade.

Coligação: Projecto está a ser
desenvolvido “de forma autista”

Na habitual conferência imprensa após a reunião do executivo, Ricardo Rio denunciou que a autarquia avançou para estas obras de regeneração urbana “sem ouvir” e “sem informar” moradores e comerciantes, numa atitude“autista”.
“Todos reconhecemos que alguns desses espaços necessitavam de uma requalificação. Porém, além da componente estética a regeneração urbana devia ter em conta a questão da gestão do espaço público”, acrescentou.
Rio critica em particular o facto de se estar a aumentar área pedonal sem que sejam criados focos de animação que chamem gente para as ruas do centro.

Rio sugere criação
da figura do gestor urbano

O líder da oposição considera que Braga devia criar a figura do gestor do centro urbano para que este tipo de intervenções se realizem de forma coordenada e tendo em conta as questão da mobilidade, porque “Braga precisa de reforçar a mobilidade” no que diz respeito ao acesso e usufruto do centro histórico.
Para abordar todas estas questões, a Coligação ‘Juntos por Braga’ vai promover no próximo dia 26 de Março uma conferência, no salão nobre da Associação Comercial de Braga, sobre ‘mobilidade e desenvolvimento urbano’.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia