Famalicão: Fundação Cupertino de Miranda mais próxima dos estudantes

Vale do Ave

autor

Redacção

contactar num. de artigos 34353

A Fundação Cupertino de Miranda está mais próxima do público estudantil de Vila Nova de Famalicão. Aproveitando a comemoração do Dia Internacional dos Museus, a instituição criada em 1963 por Arthur Cupertino de Miranda como um “templo de arte e de cultura”, ofereceu à rede de bibliotecas escolares e públicas do município, o núcleo central das edições publicadas pela Fundação no âmbito do trabalho que tem desenvolvido, essencialmente no domínio das artes plásticas.

A entrega simbólica dos 18 títulos da Fundação Cupertino de Miranda às 19 bibliotecas do município famalicense decorreu na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco e contou com as presenças do presidente da câmara municipal, Paulo Cunha, do director Artístico da Fundação, o artista plástico António Gonçalves, e dos representantes pelas instituições que receberam os livros.

Este aproximar da Fundação ao universo escolar famalicenses não é inocente. “Visa dar a conhecer o que tem sido o nosso trabalho e deixar um estímulo para que as escolas passem por lá com os seus alunos”, confessa António Gonçalves. E acrescentou: “a Fundação existe para a comunidade e todo o trabalho que se faça tem que ser nesse sentido, até porque a existência do espaço só se justifica em função dos visitantes que o usufruem”.

O presidente da câmara municipal, Paulo Cunha, aproveitou a mensagem para a estender a toda a Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão, desafiando os responsáveis pelas escolas “a aprofundarem a relação que têm com os serviços educativos da câmara municipal, no sentido de estreitarem a ligação dos alunos com os museus” e de encararem esta aproximação como um “processo fundamental de formação e valorização da nossa comunidade”.

Dos livros oferecidos às bibliotecas pela Fundação fazem parte catálogos de exposições de artistas como Mário Cesariny e Teixeira de Pascoaes e os primeiros oito números do Caderno do Centro de Estudos do Surrealismo.
Significa isto que há mais livros para oferecer. Para completar a colecção, as escolas só têm que levar os seus alunos à Fundação Cupertino de Miranda.

O Museu da Fundação Cupertino de Miranda tem por missão a divulgação da Arte Moderna e Contemporânea, especialmente do Surrealismo. Tem como principais objectivos o estudo, a documentação, conservação e divulgação do seu acervo.

Com uma importante colecção composta essencialmente por obras de artistas portugueses, reforça um património cada vez mais representativo do Surrealismo português, enriquecendo continuamente a colecção e permitindo tornar visíveis as obras do seu acervo através de uma sucessão de exposições.

vote este artigo


 

Comente este artigo

Faça login ou registe-se gratuitamente para poder comentar este artigo.

comentários

Não existem comentários para este artigo.

Últimos artigos das categorias relacionadas

Tempo

Classificados

Edição Impressa (CM)

Edição Impressa (MF)

Newsletter

subscrição de newsletter

mapa do site

2008 © todos os direitos reservados ARCADA NOVA - comunicação, marketing e publicidade, S.A. | concept by: Cápsula - soluções multimédia